MARTINHO DA VILA E O DEMÔNIO YEMANJÁ

O cantor Martinho da Vila homenageia esta entidade maligna chamada YEMANJÁ. Esta casta de demônio que possui esta denominação, são espíritos demoniacos que habitam as águas. São demônios chamados também na Bíblia de Leviatã. Nesta música Martinho da Vila mostra toda a sua fé nos espíritos malignos da Feitiçaria africana Claramente as músicas de Martinho da Vila são consagradas a estes espíritos impuros. Ouvir as músicas de Martinho da Vila é incompatível com o cristianismo (Por: Valdemir Mota de Menezes, O Escriba)

The singer Martinho da Vila honors this entity called malignant YEMANJA. This kind of demon that has that name, they are demonic spirits that inhabit the waters. They are also called demons in the Bible in Leviathan. In this song Martinho da Vila shows all your faith in evil spirits of African Witchcraft Clearly the songs of Martin Village are dedicated to these evil spirits. Listen to songs from Martinho da Vila is incompatible with Christianity (By: Valdemir Mota de Menezes, The Scribe)

Anúncios

MARTINHO DA VILA E O DEMÔNIO EXU CAVEIRA

O cantor Martinho da Vila homenageia esta entidade maligna chamada EXU CAVEIRA. Esta casta de demônio que possui esta denominação, são espíritos demoniacos que levam os homens a viverem na desgraça, a ficarem doente e se definharem até a morte. Claramente as músicas de Martinho da Vila são consagradas a estes espíritos impuros. Ouvir as músicas de Martinho da Vila é incompatível com o cristianismo (Por: Valdemir Mota de Menezes, O Escriba)

The singer Martinho da Vila honors this entity called malignant EXU SKULL. This kind of demon that has that name, they are demonic spirits that lead men to live in disgrace, get sick and wither to death. Clearly the music of Martin Village are dedicated to these evil spirits. Listen to songs from Martinho da Vila is incompatible with Christianity (By: Valdemir Mota de Menezes, The Scribe)

Alguns sites de Umbanda querem retratar uma figura boa e justiçeira para o EXU. Mas tais informações são irreais e longe da realidade do que de fato ocorre nos terreiros de macumba. O Exú trabalha para o mal e tem prazer em fazer o mal. Exu não é nenhum humano desencarnado. São demônios de Lúcifer que incorpora em pessoas que se submetem ao Diabo.
——————————-

Informação Mentirosa:

Ele é o guardião dos caminhos, soldado dos Pretos-velhos e Caboclos, emissário entre os homens e os Orixás, lutador contra o mau, sempre de frente, sem medo, sem mandar recado.

Exu não faz mau a ninguém, mas joga para cima de quem merece, quem realmente é mau o mau que essa pessoa fez a outra. Ele devolve, as vezes com até mais força, os trabalhos que alguns fizeram contra outros. Por isso, algumas pessoas consideram esse Orixá malvado.

Existem entidades que se dizem Exu e que fazem somente o mau em troca de presentes aos seus médiuns ou por grandes e custosas obrigações, serviços. Não se engane, Exu que é Exu, não faz mau, a não ser com quem merece e além disso, quando ajuda a uma pessoa não pede nada em troca, a não ser que a pessoa tome juízo, se comporte bem na vida, acredite em Deus e tenha fé.

Fonte:

http://www.umbanda.etc.br/guias/exus.html

RITUAIS MACABROS NA ÁFRICA

Estas imagens não deixam dúvidas a respeito dos rituais macabros praticados em muitas regiões na África. Aqui vemos um culto ao Diabo, cujas entidades que ali se manifestam, são seres malignos, os poderes sobrenaturais que aqui se revelam não são truques, muito menos é um show inocente. Algumas pessoa para conseguir respeito e ser temido nas suas comunidades, estão disposta a serem instrumentos dos demônios. (Por: Professor Valdemir Mota de Menezes, O Escriba)

These images leave no doubt about the macabre rituals practiced in many regions in Africa. Here we see a cult of the Devil, whose entities manifest that there are evil beings, supernatural powers are revealed here are not tricks, much less a show is innocent. Some people to get respect and be feared in their communities, are willing to be instruments of demons. (By: Professor Valdemir Mota de Menezes, The Scribe)

MARTINHO DA VILA E O DIABO

Publicado em 06/05/2012 por
O cantor Martinho da Vila homenageia esta entidade maligna chamada ZÉ PILINTRA. Esta casta de demônio que possui esta denominação, são espíritos demoniacos que levam os homens a viverem na noite, na curtição da vida, no vício do alcoolismo, e das drogas. Espíritos de sedução sexual e que levam os homens a enganarem as mulheres. Claramente as músicas de Martinho da Vila são consagradas a estes espíritos impuros. Ouvir as músicas de Martinho da Vila é incompatível com o cristianismo (Por: Valdemir Mota de Menezes, O Escriba)

Tal fato acontece porque, pela necessidade do ingresso nas falanges espirituais, afim de prestar seu trabalho nesta nova roupagem, os espíritos, agora desencarnados, aproximam-se desta ou daquela falange, por simpatia ou determinação superior, mas guardam características bastante marcantes de suas existências materiais. Melhor entendendo:Zé Pelintra, tem como característica principal, a malandragem, o amor pela noite. Tem uma grande atração pelas mulheres, principalmente pelas prostitutas, mulheres da noite, além de outras características que marcam a figura do malandro. Isso quer dizer que em vários lugares de culturas e características regionais completamente diferentes, sempre haverá um malandro. O malandro de Pernambuco, dança côco, xaxado, passa a noite inteira no forró; No Rio de Janeiro ele vive na Lapa, gosta de samba e passa suas noites na gafieira. Atitudes regionais bem diferentes, mas que marcam exatamente a figura do malandro. (FONTE http://tendafilhosdeoxalaeyemanja.sites.uol.com.br/ze.html)

—————————

The singer Martinho da Vila honors this entity called malignant ZÉ PILINTRA. This kind of demon that has that name, they are demonic spirits that lead people to live at night, in the enjoyment of life, in addiction to alcohol and drugs. Spirits of sexual seduction and lead men to seduce women. Clearly the music of Martin Village are dedicated to these evil spirits. Listen to songs from Martinho da Vila is incompatible with Christianity (By: Valdemir Mota de Menezes, The Scribe)

VOODOO AND DEVIL

voodoo
Voodoo is more than one mechanism usaso the devil and his legion of demons to manifest themselves among men. Their rituals are cultural elements of Catholicism and African. Voodoo is practiced as a religion current in the country of Haiti, but other people hungry for power and willing to do anything to achieve their goals, submit to the rituals of voodoo. The same fallen angels with Lucifer, are manifested in these rituals. (for Valdemir Mota de Menezes, the Scribe)

——————————–

Fonte:

black-arts-in-voodoo-conjure/

The Devil and the black arts in voodoo conjure…
Posted by: on October 21, 2010
People are often surprised to learn that the Devil – Ole Satan – plays a key part in voodoo conjure. The reason for this is simple: Old time hoodoos see Ole Satan as one of the greatest conjurers there ever was.
As one of the old religious songs from the American South states: “The Devil is a liar and a conjurer too, if you don’t look out he’ll conjure you too…”
Further insight into the Devil and voodoo conjure can be found in Esteban Montego’s Autobiography of a Runaway Slave, published in 1963 when he was 105-years-old.
“This Congolese from Timbirito told me a lot about his meetings with the Devil. He saw him as often as he wanted. I think the Devil is a smart fellow; he obeys when people summon him so as to work evil and give himself pleasure. But don’t try calling him for some good purpose because p-h-h-t! he won’t come! If a person wants to make a pact with him, the old Congolese told me, he should take a hammer and a big nail, look for the young ceiba tree in the countryside and hammer on the truck hard three times. As soon as the bugger hears this call, he comes, quite cool and cocky, as if he didn’t care a damn.
He sometimes appears dressed very smartly like a man but never as a devil, for he doesn’t want to frighten people. In his natural shape he is all red like a flame, with fire coming from his mouth and pitchfork in one hand. When he appears you can speak to him quite normally, but you have to make your meaning very clear because to him years are just days, and if you promise to do something in three years he will think you said three days.
If you don’t know this, you are in trouble – I’ve known it ever since I was a slave. The Devil reckons things up in quite a different way from men. He loves doing wickedness. I don’t know what he’s like now, but he used to give all the help he could, so that spells would work.
Anyone could summon up. A lot of aristocrats, counts and marquises, had dealings with him. Also masons, and even Christians.”

VODU E O DIABO

vodu
Vodu é mais um dos mecanismos usaso pelo Diabo e sua legião de demônios para se manifestarem entre os homens. Seus rituais possuem elementos culturais da religião católica e africana. O Vodu é praticado como religião corrente no país do Haiti, mas outras pessoas sedentas de poder e dispostas a qualquer coisa para lograr seus objetivos, se submetem aos rituais do vodu. Os mesmos anjos caidos com Lúcifer, se manifestam nestes rituais. (por Valdemir Mota de Menezes, o Escriba)

VODU

Acerca da magia Vodu
Fonte:http://www.astrologosastrologia.com.pt/Vodu.htm
O Vodu é um sistema de magia negra e branca, muito antigo e primitivo, que deriva da teologia e cerimonial africano. É um complexo de crenças e rituais religiosos africanos e católicos que estabelece uma ligação vital entre o mundo material e o mundo dos espíritos e governa em grande extensão a vida dos camponeses haitianos.
As diversas deidades da religião Vodu chamam-se loas. (Loa significa “espírito”, na língua congo.) O propósito último do Vodu é permitir que os loas, que possuem o poder das forças naturais, se manifestem no corpo humano vivo, de modo que a pessoa possuída possa ser fortalecida por sua energia e sabedoria divina.
Dizem que, quando um homem ou uma mulher fica sob a possessão de um loa, o espírito sobe em seus ombros, da mesma forma que um cavaleiro monta no cavalo.
Cada loa deve ser reverenciado em seu dia próprio e “alimentado” com uma oferenda de galinhas ou cabras sacrificadas, frutas e outros alimentos.
Sem a posse dos corpos físicos e as oferendas dos animais sacrificados, que são tradicionalmente deixados em encruzilhadas à meia-noite, os loas perderiam seus poderes sobrenaturais e desapareceriam para sempre.
Há duas categorias principais de deidades no Vodu: os loas Rada e os loas Petro.
Há também classes menores de loas, que incluem o Congo, o Ubo, o Nagô e o Wangol.
(O Vodu foi criado nas Antilhas por escravos africanos que tinham sido vendidos para os comerciantes de escravos pelos seqüestradores africanos e transportados para o Caribe. O comércio de escravos ocorreu em diversas tribos africanas, cada uma com suas próprias práticas e crenças religiosas. Isso explica a razão para que as deidades do Vodu sejam agrupadas em diferentes categorias.)
Os Rada são loas protetores, principalmente os de origem beninense e nigeriana, sendo invocados principalmente nos rituais de magia branca. (O nome Rada deriva de uma aldeia em Benin chamada Arada.)
Os Petro são loas agressivos que foram trazidos para o Haiti, em 1768, por um houngan (sacerdote do Vodu) espanhol chamado Dom Pedro, que era bem conhecido por ter introduzido a prática de beber rum misturado com pólvora bem moída. O houngan espanhol também introduziu uma variedade de novos ritos de Vodu entre os escravos haitianos, incluindo uma arrebatada dança dos espíritos, mais violenta que as antigas danças Rada executadas pelos sacerdotes e sacerdotisas da ilha. Portanto, o culto Petro de magia negra e seus loas são denominados, segundo Dom Pedro, o “mensageiro divino” responsável por sua adoração.
A adoração do loa é dirigida pelos houngans e mambus, os respectivos sacerdotes e sacerdotisas do Vodu. Usando a magia branca, eles curam pessoas doentes ou machucadas; usando magia negra, eles conseguem fazer um morto retornar à vida como zumbis para trazer problema ou até mesmo a morte a um inimigo.
A previsão é outra função importante dos houngans e mambus, e é como videntes que costumam se empregar. A vidência geralmente acontece enquanto sob a posse de um loa, mas outros métodos são usados, como o da leitura do cristal.
Na cerimônia haitiana de invocação do loa, veves (intrincados emblemas simbólicos de vários loas a serem invocados) são desenhados com farinha ou cinzas, no chão da clareira onde dois santuários peristilo (um para os loas Rada e um para os loas Petro) foram erguidos. No centro do peristilo fica o poteaumitan, o mastro central dedicado ao loa Legba através do qual surgem os loas. As velas coloridas apropriadas para cada loa são fixadas sobre os veves, e orações especiais, que incluem a Ave-Maria e o Pai-Nosso, são rezadas.
Ao final das orações, os tambores do Vodu começam a tocar, e uma galinha, cabra ou outro animal é sacrificado e entregue ao cozinheiro, que o prepara para o altar do loa. Canções especiais são entoadas para os loas, enquanto os tambores seguem um ritmo apropriado, e a invocação se inicia.
Os tambores estão entre os símbolos centrais do Vodu haitiano. São considerados sagrados, por serem importantes no ritual de invocação do loa.
O tocar dos tambores tem muitas funções no ritual de Vodu. Pela combinação de ritmos tocados pelas baquetas, tambores médio e mestre e um par de pratos de metal chamado ogan, os dançarinos conseguem entrar em transe. Geralmente esse estado é atingido pela manipulação de ritmo e métrica, incluindo poderosas interrupções rítmicas chamadas casses, executadas pelo mestre dos tambores. A música de percussão também é essencial para manter o cenário do ritual depois que os dançarinos foram possuídos pelos loas. É da maior importância que os músicos mantenham os loas dançando e usem ritmos especiais para expulsar qualquer espírito indesejado.
Numa cerimônia Vodu, os devotos possuídos pelos loas podem aconselhar os problemáticos e executar milagres, como curar os doentes e adivinhar acontecimentos.

HARRY POTTER O DIABO DE ÓCULOS

O texto abaixo o Escriba Valdemir Mota de Menezes copiou no site da Revista Superinteressante. Acredito sinceramente que estas propaganda sutis que promovem a simpatia com a Magia e o Ocultismo é realmente inspiração do próprio Diabo. Quem conhece a Bíblia e a Palavra de Deus, não tem dúvidas sobre os interesses de Lúcifer com este tipo de entretenimento que glorifica a vida dos magos.

Fonte:
http://super.abril.com.br/cultura/harry-potter-diabo-oculos-446328.shtml
———————–

Harry Potter 😮 diabo de óculos

A magia da saga de Harry Potter está com seus dias de inocência contados. Há quem acuse a autora de incentivar o satanismo e, pior, de fazer parte de um plano secreto para eliminar os valores cristãos.

por Mariana Sgarioni

TEORIA – Harry Potter é coisa do demônio

OBJETIVO – Incentivar os adolescentes à prática da bruxaria

Não se iluda, caro leitor, com as aparências. Aquele singelo bruxinho de óculos, que vem encantando milhões de crianças e adolescentes no mundo inteiro, pode representar um verdadeiro perigo. Algumas correntes religiosas e paranóicos de plantão já soaram o alarme vermelho aos pais: a história de Harry Potter não passa de um plano muito bem bolado que pretende levar nossas crianças à prática da bruxaria e do satanismo. Tem mais. Parece que o sucesso estrondoso da saga faz parte de um plano educacional pilotado pela ONU, a Organização das Nações Unidas, para acabar de vez com os valores morais e éticos da nossa sociedade, estabelecendo a chamada Nova Ordem Mundial, uma espécie decultura global pagã, comandada, obviamente, pelos Estados Unidos.

Parece loucura? Pode ter certeza que tem muita gente que não acha. Pois bem, vamos por partes. Em primeiro lugar, lembremos um pouco da história do bruxinho mais simpático dos últimos tempos. Harry foi deixado na casa de seus tios, a família Dursley, ainda bebê, na noite terrível do assassinato de seus pais pelo mago Lorde Voldemort, o Senhor das Trevas. Até os 10 anos de idade, o desengonçado menino viveu com os tios e era muito maltratado por eles. No dia do seu aniversário de 11 anos, porém, descobriu que não era um garoto qualquer e, sim, um bruxo. Ingressou, então, na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, onde viveria as mais fantásticas aventuras ao lado de Hermione Granger, dos irmãos Weasley e dos demais alunos.

Segundo os personagens, são chamados de “trouxas” aqueles que não vivem no mundo da bruxaria. Em todos os livros, a autora retrata o mundo da feitiçaria como muito mais divertido, interessante e capaz de propiciar realização que o mundo não-mágico dos “trouxas”. Quando uma cena ocorre no mundo monótono dos trouxas, Harry está triste e se deprime pela forma como é tratado. A única alegria na vida de Harry é seu mundo de fantasia em Hogwarts, onde brinca e estuda com seus colegas feiticeiros e magos. “Qual criança normal iria querer continuar a viver em tal existência não-mágica quando pode fugir para o mundo mais interessante da feitiçaria?”, pergunta David Bay, diretor da igreja evangélica americana The Cutting Edge, um dos críticos da saga. “As atividades em Hogwarts são apresentadas de uma tal maneira que, mesmo que estejam mostrando maldições ou experiências extra-sensoriais, não têm conseqüências espirituais. Embora a Bíblia condene qualquer pessoa que pratique esse tipo de atividades, Harry Potter e seus amigos sistematicamente aprendem todos os caminhos de um verdadeiro satanista sem sofrer nenhuma conseqüência. É esse tipo de mensagem que você quer que seu filho receba dos livros da série Harry Potter?”, completa o pastor.

Para ele, até mesmo a cicatriz em forma de raio na testa de Potter é um sinal perigoso: pode ser uma representação do anticristo, prestes a infiltrar-se entre nós. A igreja faz ainda uma análise detalhada dos filmes e conclui que os detalhes mais sutis, como as cores vibrantes, são de origem do coisa-ruim. “O verde, por exemplo, é a cor favorita de Satanás. E está presente em diversas passagens da história, começando pelos olhos de Potter.”

No Brasil, diversas correntes cristãs acompanham essas idéias. “Não podemos chamar o garoto bruxo de bonzinho porque, mesmo que suas atitudes sejam para ajudar uma outra pessoa, ele age de modo contrário à Bíblia”, afirma um texto da Igreja Evangélica Presbiteriana da Vila das Mercês, em São Paulo. Em Brasília, durante a estréia de Harry Potter e a Pedra Filosofal, 20 representantes da Comunidade Cristã Vida Abundante encenaram um protesto contra o filme, que, segundo eles, incentiva a magia negra.

A CULPA É DA ONU

A série de livros das aventuras de Harry Potter, que deu origem aos filmes, é um fenômeno que vem atraindo milhões de pessoas no mundo inteiro. Os números são assustadores. O lucro já ultrapassa a casa de 1 bilhão de dólares. São seis livros (de um total de sete previstos), brinquedos, jogos para computador e as adaptações para o cinema. Os livros já foram traduzidos para 47 idiomas, em 200 países, e acumulam vendas superiores a 100 milhões de exemplares.

Supondo que essas acusações dos infernos realmente estejam falando a verdade, a pergunta que cabe é: quem teria tanto interesse em fazer com que todas as crianças cultuem as tais forças das trevas? A autora da série, a inglesa J. K. Rowling, admite que estudou magia negra para tornar seus escritos mais verossímeis, mas, em nenhum momento, confessa que sua intenção é incentivar esse hábito – muito pelo contrário, aliás. Em entrevistas, ela já afirmou, com todas as letras, que não pretende, com opersonagem, passar nenhuma lição, seja de moral, seja da vinda do belzebu.

O pastor americano David Bay parece ter descoberto o mistério. Segundo ele, tudo isso faz sentido se pensarmos na idéia de que a “Nova Ordem Mundial” está dominando o planeta. A expressão foi cunhada pelo então presidente americano George Bush, o pai, em 1991, logo depois da queda do Muro de Berlim. Pelo que ele disse na época, a Nova Ordem Mundial seria a “união das nações para alcançar as universais aspirações humanas de paz, segurança e liberdade”. Pois é, mas muitos cristãos extremistas entenderam essa tal nova ordem como o início de uma era pagã, com o triunfo de Satanás, sob o comando de um anticristo. E é aqui que entra Potter, o nosso bruxinho inglês.

“Você já observou quantas escolas organizaram excursões de alunos para assistirem aos filmes de Harry Potter? A razão para esse entusiasmo dos pedagogos é que os filmes oferecem exatamente o tipo de ‘realidade planejada’ que a ONU está buscando”, afirma Bay. “Essa ‘realidade planejada’ é desprovida dos valores cristãos tradicionais, mas rica em crenças e estilos de vida pagãos e, principalmente, em uma certa ‘cosmovisão’ mental – a Nova Ordem Mundial”. É como diz o lema em latim de Hogwarts: Draco dormiens nunquam titillandus. Traduzindo: nunca cutuque um dragão adormecido.

Belzebus disfarçados

Não é de hoje que as criançasvêm sendo instigadas ao satanismo.Veja alguns exemplos de atraçõesque deram o que falar

A Feiticeira

Seriado de TV exibido nas décadas de 60 a 80. Provavelmente, influenciou os pais que hoje levam seus filhos para assistirem Harry Potter. Samantha é uma bruxa que se casa com um mortal, James, sob a condição de nunca usar a bruxaria. Quem não se conforma com isso é a mãe dela, Endora, que sonhou para a filha um futuro bem melhor, digno de sua posição em meio ao universo dos feiticeiros.

Sabrina, Aprendiz de Feiticeira

Série de filmes para a televisão escolhida por dez entre dez canais abertos para as sessões da tarde. Originária das histórias em quadrinhos, Sabrina, uma adolescente de 16 anos, descobre que seu pai era um mago e, portanto, que ela também tem poderes. Normalmente, resolve seus problemas por meio da magia.

South Park

O seriado é um ilustre representante da degradação dos valores morais cristãos em prol da criação da sociedade da Nova Ordem Mundial. As insinuações satânicas aparecem no comportamento dos personagens. Eles protagonizam cenas escatológicas, como flatulências, vômitos e escarros, sem falar nos debates sobre eutanásia.

Caverna do Dragão

Um dos desenhos animados mais populares dos anos 80, que nunca teve seu final exibido. Alguns conspirólogos acreditam em uma trama satânica por trás da história: os personagens, na realidade, teriam se acidentado numa montanha-russa e estariam mortos. O pior é que foram condenados ao inferno – no caso, a caverna da qual tentam escapar.